Solenidade de São Pedro e São Paulo

É celebrada no dia 29 de junho, caso caia durante a semana, aqui no Brasil pode ser transferida para o domingo seguinte. São Pedro e São Paulo, duas colunas da Igreja, dois homens de Deus.

Como relata o evangelista, Simão, como era chamado, nasceu em Betsaida, cidade da Galileia. André, seu irmão, ouvindo falar de Jesus por meio de João Batista, “correu a procura dele para dizer-lhe: achamos o Messias. André levou Simão a Jesus, e Jesus, fixando nele o olhar” (Jo. 1, 42), o chamou para segui-lo.

No momento em que Jesus vê Simão, o chama de Cefas, que quer dizer: pedra, e por isso Pedro. E continua dizendo: “não temas, de agora em diante serás pescador de homens” (Lc. 5, 10). Passa de um simples pescador, para um pescador de homens. “Deixando tudo, o seguiu” (Lc. 5, 11). Jesus o institui como pedra da Igreja e confia a Pedro a missão de regê-la, sob a luz do Espírito Santo que o Senhor enviara após sua Ascensão.

Pedro, diferente de Paulo, foi discípulo de Jesus e esteve nos momentos mais importantes da vida do Senhor. Na última ceia, Jesus havia dito que sofreria e morreria, mas Pedro interveio dizendo que estaria sempre com ele e nunca se escandalizaria. E Jesus diz: “antes que o galo cante, tu me negarás três vezes” (Mc 14, 30). A princípio foi fraco na fé, e cumprindo o que o Senhor disse, ele o negou três vezes. O próprio Senhor o confirmou na fé após sua ressurreição. Pedro tornou-se um intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no dia de Pentecostes.

Durante a vida pública de Jesus, o Senhor se dirige a Pedro dizendo: “tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16, 18). Jesus dá o poder a ele de guardar os seus ensinamentos e anunciá-los aos povos e nações de todo o mundo. Dá a ele as chaves do reino com o intuito de ligar o que é certo aqui na terra e no céu, e o mesmo tempo com o intuito de desligar aqui na terra e no céu, as coisas erradas, ou seja, que vai contra todo o ensinamento de Jesus. Pedro se torna o primeiro vigário de Cristo na terra, o primeiro papa da Igreja.

Com a descida do Espirito Santo, seu apostolado foi selado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das primeiras perseguições aos cristãos. Ao ser levado para a crucificação, pede para aqueles que o levavam para que o crucificassem de ponta-cabeça, pois dizia que não era digno de morrer como seu Senhor, Jesus Cristo. Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.

São Paulo, antes da conversão seu nome era Saul ou Saulo. Era natural de Tarso e recebeu conhecimentos de um dos grandes mestres da Lei, Gamaliel. Era fariseu diligente, a ponto de perseguir a Igreja recém criada, e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles, inclusive do primeiro mártir Santo Estevão.

O Atos dos Apóstolos relata que Saulo converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu, envolto em uma luz resplandecente, que disse: “Saulo, Saulo, porque me persegues?” (At 9, 4). E foi guiado pelo próprio Jesus até a cidade de Damasco. Na cidade, Jesus aparece em visão a Ananias dizendo para encontrar Saulo, pois o tinha escolhido para anunciar o seu evangelho e Ananias fez o que o Senhor havia dito.

Ananias foi ter com Saulo e impôs as mãos sobre ele e fez descer sobre ele o Espírito Santo. Depois de ser batizado e recuperado a visão, tornou-se um grande missionário, fundando muitas comunidades. Ele achava que estava agradando a Deus com suas perseguições, mas aprendeu de primeira mão o que significa agradar a Deus sendo cristão. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação. Escreveu cartas às comunidades fundadas pelos Apóstolos (e algumas fundadas também por ele), estas estão contidas no Novo Testamento.

A princípio Paulo não esteve no grupo dos doze primeiros escolhidos do Senhor. Por que o título de Apóstolo? Porque recebeu diretamente de Jesus a tarefa de anunciar a boa nova do Reino de Deus. A palavra ‘Apóstolo’ deriva do grego que significa ‘enviado’. Nesse sentido, todos aqueles que buscam anunciar Cristo as nações, são apóstolos.

Celebrar a solenidade de São Pedro e São Paulo é reconhecer que eles foram e continuam sendo colunas, rochas e a base da Igreja. Ambos foram chamados por Cristo, não por seus méritos e qualidades, mas pelo o que poderiam oferecer aos outros. Não olharam para si mesmos, mas olharam para aquele que é o autor de toda a criação e de toda a salvação. Não se colocaram em primeiro lugar, mas sim o Senhor que os chamou.

Responderam sim ao chamado de Deus e foram marcados profundamente pela graça que vinha do alto, que até mudam de nome: Simão, por Pedro e Saulo, por Paulo. Isso quer dizer que a conversão não é só uma mudança externa, mas uma mudança interior, mudança de identidade. Eles têm tudo de Deus e ao mesmo tempo tudo de humano, Igreja de santos e pecadores.

José Vitor Rezende Sousa, 2º ano do discipulado.

compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: