01º de outubro: Santa Terezinha do Menino Jesus

Santa Terezinha: aquela que viveu extraordinariamente o ordinário, sobrenaturalizando todos os seus atos.

“Deixai as criancinhas virem a mim e não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus.”

(Lc 18, 16)

Muito esperta esta santa, enganou a todos deixando-nos para trás, fazendo com que pensássemos que ela fosse uma santinha pequena, ingênua, simples demais e incapaz de fazer mal até para uma pobre formiga.

Santa Terezinha abriu uma porta para a Igreja atual, e esta porta não se fechará até a volta de Jesus Cristo. Esta santa, bem espertinha, nos mostrou um novo caminho, que antigo, mas não ultrapassado e nem obsoleto, que é um atalho, tão rápido e simples para os que buscam a santidade verdadeira e veem quase como impossível de alcançá-la nos tempos de hoje.

Maria Francisca Teresa Martin, ou comumente conhecida como Santa Terezinha do Menino Jesus, foi uma santa entre santos. Sim, seus pais também foram santos, São Luiz Martin e Santa Zélia Guérin que tiveram nove filhos e Teresa era a caçula. Maria Teresa nasceu em Alençon na França e entrou jovem, com dezessete anos, no Carmelo, no qual alçou voos altos de santidade.

Como é possível uma jovem de apenas 24 anos ter alcançado tão grande grau de santidade? Com a resposta a esta indagação entendemos qual foi a grande descoberta e proeza de Santa Terezinha: a resposta é o AMOR, sim, é um pouco clichê mesmo, mas é a verdade, pois o caminho ou atalho encontrado por Tereza foi o do AMOR verdadeiro, deixemos que ela mesmo nos explique:

“A Caridade deu-me a chave de minha vocação. Compreendi que, se a Igreja tinha corpo, composto de vários membros, não lhe faltava o mais necessário, o mais nobre de todos. Compreendi que a Igreja tinha coração, e que o coração era ARDENTE DE AMOR. Compreendi que só o amor fazia os membros da Igreja atuarem, e que se o amor se extinguisse, os Apóstolos já não anunciariam o Evangelho e os Mártires se recusariam a derramar seu sangue… Compreendi que o AMOR ABRANGE TODAS AS VOCAÇÕES, ALCANÇANDO TODOS OS TEMPOS E TODOS OS LUGARES… NUMA PALAVRA, É ETERNO…Então, no transporte de minha delirante alegria, pus-me a exclamar: Ó Jesus, meu amor, minha vocação, encontrei-a afinal: MINHA VOCAÇÃO, É O AMOR!…”.

(Santa Teresa do Menino Jesus. História de uma alma, manuscritos autobiográficos. p.201).

Caro leitor, se esperava uma fórmula mágica de santidade, sinto muito em te frustrar, mas não há outro caminho senão o do AMOR. Para sermos os santos que Deus quer que sejamos e Deus não deseja nada em nós que seja impossível.

Santa Teresinha não fez milagres, profecias, curas, nem grandes pregações ou livros de Teologia e nem tampouco fez um doutorado e mesmo assim a Igreja a proclamou Doutora da Igreja, pois no AMOR ela se tornou tudo em todos.

O caminho da pequenez, de humildade, de infância espiritual descritos e vividos por Teresa são um reflexo do seu ardente AMOR por Deus e pelas pessoas. Teresa é o exemplo perfeito, de que se quisermos ser grandes, devemos nos fazer pequenos diante de Deus e dos Homens para podermos, junto com Santa Teresa, herdar o Reino dos Céus que é das criancinhas, assim foi dito por Jesus, na passagem citada no início deste texto.

Santa Teresa do Menino Jesus, rogai por nós!

Bruno de Jesus, 4º ano da configuração.

compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: