19 Março — SOLENIDADE DE SÃO JOSÉ

Hoje a Igreja comemora o grande santo e patriarca, São José. Verdadeiro esposo de Maria e Pai virginal de Jesus. A cada santo a Igreja coloca um patrocínio em particular, ou seja, a São Judas Tadeu as causas impossíveis, a Santo Antônio, o santo casamenteiro, mas a São José, a Igreja colocou todas as causas. Explicando melhor, não existe causa em que São José não interceda, justamente pela missão que recebeu.

Algo de incomum está acontecendo em nossos dias e que a Igreja nunca passou: ter de fechar suas portas aos fiéis e especialmente, estar impedida de administrar os sacramentos aos enfermos. O que fazer? Suas mãos parecem que estão atadas e sua ação impedida. E é sobre esta ação que se deseja explicitar neste dia de São José.

Existem duas especiais causas, neste tempo de pandemia, as quais outrora, podemos dizer: Valei-nos São José! São José como patrono dos enfermos e moribundos, e padroeiro da boa morte. Os dias que se passaram e nestes que estamos vivendo, um grande número de fiéis morreram e estão morrendo sem os últimos sacramentos. Muitos os pedem, contudo, o padre não pode socorrê-los, devido aos decretos e normas sanitárias. Houve até uma foto de padres de nossa diocese que virilizou nas redes sociais, posicionados fora dos hospitais de nossa cidade e estes davam bênçãos e absolvições gerais. Vê-se que é grave o momento vivido. O que fazer frente a essa dificuldade? A quem recorrer? É claro que se deve apelar a Deus, mas é de especial importância e ajuda, termos um intercessor, e hoje é dia do pai do Filho de Deus.

Não se sabe, por nenhuma fonte da Revelação Divina (Sagrada Escritura, Tradição e Magistério), sobre o mês, dia e ano da morte de São José. Mas, pelos evangelhos pode se deduzir que foi antes da Paixão e Morte de Nosso Senhor.

Imaginemos São José agonizante, com as dores e dificuldades daquela derradeira hora. Suas alegrias e dores. Dor por ter que deixar suas mais valiosas jóias, Jesus e Maria. Mas ao mesmo tempo, a alegria de estar assistido pelas duas maiores graças que alguém pode receber na hora da morte: a presença do próprio Deus e da Mãe de Deus. Estes, sendo solícitos em lhe dar conforto do corpo e da alma, com a mais doce ternura e com o mais fervoroso reconhecimento, por tudo o que havia recebido dele. Por este motivo, São José é padroeiro da boa morte.

Neste tempo em que está difícil a visita de um sacerdote aos enfermos, pode-se pedir a este santo a graça de ter uma boa morte. Existe um adágio muito famoso: um fiel de São José nunca se perde. Santa Tereza de Jesus dizia que qualquer graça que pedirdes a São José esta, com certeza, será atendida. E não há graça melhor e mais urgente, do que graça de uma boa e santa morte e a perseverança final, porque, aí está decido minha eternidade.

Há uma história que muito bem ilustra o que foi dito acima. Em um, dia pelas altas horas da noite, bateu na porta da casa paroquial, um senhor de idade avançada. O padre, meio dormindo, abre a porta. O idoso dá-lhe um bilhete escrito com um nome e o endereço, para que este fosse atender uma fiel. O padre olha para o endereço e verifica que era impróprio para um servo de Deus. Era uma casa de tolerância, um local de prostituição, e então, disse que iria outro dia. O ancião percebendo que o padre não iria, disse em um tom grave: padre, é preciso que o senhor atenda esta senhora agora! O sacerdote percebendo que não tinha saída, foi até o local. O ancião o levou até a porta, indicou-lhe o caminho e disse que não poderia entrar no local, e foi-se embora. O padre entra no lugar indicado e percebe que existe uma moribunda em um leito. Ele se apresenta e diz que veio para atendê-la.

A agonizante se alegra e o sacerdote, então, confere-lhe os últimos sacramentos. Meio sem entender, o padre, queria uma explicação para aquele fato. Ele olhava para cada lado e via muitas pessoas bebendo e se deleitando nos mais torpes pecados e havia grande movimento na casa. E pensava consigo mesmo, que ninguém se interessaria para chamar um sacerdote. Então, antes da agonizante dar o último suspiro ele interroga-lhe: a senhora tem alguma devoção particular? Ela meio fraca, mostra-lhe uma oração que rezava todos os dias antes de dormir e era uma oração pedindo a São José, uma boa e santa morte. O padre então, entende o porquê que aquele ancião disse, que não podia entrar e logo intui, que este poderia ser alguém enviado por São José, ou o próprio santo.

Este fato histórico acima, pode ocorrer com qualquer um e confirma o que foi dito: um fiel devoto de São José nunca se perde. Deus tem caminhos dos quais, só Ele conhece e que podem colocar uma alma em estado de graça.  De nossa parte compete-nos, pedir a intercessão daquele a quem o Filho de Deus, nunca negou algo nesta terra e que com certeza, também não vai negar nada no céu.

Por isso, exorto a você que tem algum doente na família, que não está conseguindo a presença de um sacerdote junto de seu leito, a não desanimar, mas de modo nobre, insistente e firme, rezar, suplicar e clamar a intercessão do Pai Virginal de Jesus, para ao menos dar-lhe uma boa e santa morte. Se você não tem nenhum doente em sua família, convido-o a se unir em oração à Igreja, para que por meio da comunhão dos santos, peça por aqueles que padecem do corpo e da alma, desta forma, estaremos cumprindo a obra de misericórdia, rezando uns pelos outros.

 Também em comunhão com a Igreja Universal, aproveite-se este ano, em que o Santo padre decretou o Ano de São José, digamos ser muito providencial, e se una em oração e peça a graça de vivenciarmos estes momentos de sofrimento, com as luzes do Espirito Santo, dando-nos a segurança, pela abundância de sua misericórdia e o fim desta pandemia.

SÃO JOSÉ, PADROEIRO DOS MORIBUNDOS E DA BOA MORTE!

ROGAI POR NÓS!

Abaixo, está uma oração a São José, conhecida por nunca ter falhado, que providencia o pedido para o benefício espiritual, de quem está rezando ou para quem se está rezando:

Ó São José, cuja proteção é tão grande, tão forte e tão imediata diante do trono de Deus, a vós confio todas as minhas intenções e desejos.

Ajudai-me, São José, com a vossa poderosa intercessão a obter todas as bênçãos espirituais por intercessão do vosso Filho adotivo, Jesus Cristo Nosso Senhor, de modo que, ao confiar-me, aqui na Terra, ao vosso poder celestial, Vos tribute o meu agradecimento e homenagem.

Ó São José, eu nunca me canso de contemplar-Vos com Jesus adormecido nos vossos braços. Não ouso aproximar-me enquanto Ele repousa junto do vosso coração. Abraçai-O em meu nome, beijai por mim o seu delicado rosto e pedi-lhe que me devolva esse beijo, quando eu exalar meu último suspiro.São José, padroeiro das almas que partem, rogai por mim! Amém!

Orlando Joaquim Inácio, 1º Ano da Configuração.

compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: