ADVENTO: ESPERAR… ESPERAR… ESPERAR!

Em um ano onde tantas esperanças foram frustradas, tantos planos modificados e onde uma nova forma de viver e se relacionar teve que ser aprendida por todo o mundo, podemos nos perguntar o que devemos ainda esperar? Na verdade, essa pergunta não pode ser como que um último grito desesperado antes de saber o que ainda está por vir, com um desânimo e um pessimismo que não nos permita ainda sonhar. Mas, ao contrário, deve ser um grito de esperança, que nos dá força para sonharmos novamente e enfrentarmos os novos desafios e obstáculos da vida, com ânimo e coragem.

Esperar é preciso! E nesse tempo de desesperanças o Senhor vem, mais uma vez, nos encher de Esperança. Nesse tempo de tantas tristezas, Deus vem de novo ao nosso encontro nos encher de alegria! Nesse tempo onde tantas pessoas se deixaram levar pelo desânimo, o Senhor nos faz novamente o convite: “Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!” (Sl 27,14).

Colocamos a nossa esperança em Deus! Caminhamos em meio aos perigos? Ele caminha conosco! Sofremos tantos males nessa terra? Ele sofre conosco! Somos abandonados muitas vezes pelos homens? Ele não nos abandona! Ele é o EMANUEL, Deus conosco! Este é o motivo da nossa Esperança, o Senhor está conosco e nos ajuda, com sua Graça, a estarmos sempre com Ele. N’Ele devemos esperar: ‘ Conservemo-nos firmemente apegados à nossa esperança, pois aquele que fez a promessa é fiel ” (Hb 10,23).

E a esta esperança somos chamados nesse tempo do Advento. Esperar o Deus-Menino que vem ao nosso encontro, que assume a nossa frágil natureza humana, a fim de nos libertar da escravidão do pecado e salvar-nos de todas as nossas tribulações (Cf. Is 63,9). Quanta alegria deve causar em nós esse tempo. Como diz o poeta: “após um dia nublado, o sol sempre volta a brilhar!” e esse brilho nos traz a alegria.

Aproxima-se a celebração do Natal do Senhor: “O sol nascente que vem nos visitar” (cf. Lc 1,78), e esta visita é o que nos traz alegria, é o que esperamos. Advento significa justamente isso aproximar-se, vir chegando aos poucos. Durante essas quatro semanas temos a oportunidade de nos prepararmos para o grande dia do Natal. Os profetas, através das leituras, anunciam a proximidade cada vez maior desse acontecimento estrondoso, mas que, paradoxalmente, se dá no silêncio de uma noite estrelada, em uma gruta de Belém.

Vivamos este tempo de esperança, mais uma vez, renovando nossas forças e buscando em Deus a coragem para continuarmos caminhando e lutando, enfrentando os desafios de cada dia. Vivemos o momento presente, com os pés no chão, mas, com o olhar voltado para o futuro, afirmando como o Apóstolo “nós nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera perseverança, a perseverança leva a virtude comprovada, e a virtude comprovada gera esperança. Ora, a esperança não nos decepciona!” (Rm 5, 3-5).

Esperar… esperar… esperar… O sol voltará a brilhar! O Senhor virá!

Pe. Wallace Guedes de Morais.

compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: